6º Webinar

Pavimento pélvico da mulher atleta: Controvérsia vs Evidência

29 maio 2021

Oradoras

Maita Poli de Araujo

Professora do Programa Pós Graduação em Ciências da Saúde aplicado ao Esporte e à Atividade Física da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo (EPM-UNIFESP)
Chefe do Setor de Ginecologia do Esporte da EPM-UNIFESP
Pós-Doutorado
Área da Saúde - Ginecologia - Medicina do Exercício e do Esporte

 

Thamires Lopes Botelho

Fisioterapeuta do Setor de Ginecologia do Esporte da Escola Paulista de Medicina - Universidade Federal de São Paulo
Especializada em Fisioterapia em Ginecologia
Especializada em Pavimento Pélvico
Área da Saúde - Ginecologia - Urologia

 

 

Objetivos de aprendizagem

Identificar sinais e sintomas da tríade da mulher atleta;

Identificar modalidades esportivas de risco para as disfunções do pavimento pélvico;

Fornecer conhecimentos clínicos de avaliação multiprofissional da atleta com disfunção do pavimento pélvico;

Apresentar os Dispositivos de avaliação funcional do pavimento pélvico da mulher atlética;

Colaborar com a identificação de exercícios para a saúde vs esporte de risco para disfunção do assoalho pélvico.

 

Conteúdos programáticos

· Tríade da mulher atleta.
· Avaliação funcional do pavimento pélvico da atleta.
· Intervenção na mulher atleta.
· Evidência (mostrar alguns artigos).

 

Metodologias de ensino

Expositiva/Interativa.

 

Total de horas

Este webinar decorrerá a 29 de maio às 15h00 e terá a duração de 2 horas.
45 mins. de exposição.
Pausa - (final enviam perguntas para o "bate-papo" - responder a um quiz).
45 mins. para discussão.

 

As inscrições para o 6º Webinar terminam a 27-05-2021.

 


 

BIBLIOGRAFIA PRINCIPAL

1. Araújo MP, Oliveira Ed, Zucchi EV, Trevisani VF, Girão MJ, Sartori MG. Relação entre incontinência urinária em mulheres atletas corredoras de longa distância e distúrbio alimentar [The relationship between urinary incontinence and eating disorders in female long-distance runners]. Rev Assoc Med Bras (1992). 2008 Mar-Apr;54(2):146-9. Portuguese. doi: 10.1590/s0104-42302008000200018. PMID: 18506324.

2. Araujo MP, Sartori MGF, Girão MJBC. Athletic Incontinence: Proposal of a New Term for a New Woman. Rev Bras Ginecol Obstet. 2017 Sep;39(9):441-442. English. doi: 10.1055/s-0037-1605370. Epub 2017 Jul 20. PMID: 28728191.

3. Poli de Araújo M, Brito LGO, Rossi F, Garbiere ML, Vilela ME, Bittencourt VF; Cross Continence Brazil Collaboration Group. Prevalence of Female Urinary Incontinence in Crossfit Practitioners and Associated Factors: An Internet Population-Based Survey. Female Pelvic Med Reconstr Surg. 2020 Feb;26(2):97-100. doi: 10.1097/SPV.0000000000000823. PMID: 31990795.

4. Louis-Charles K, Biggie K, Wolfinbarger A, Wilcox B, Kienstra CM. Pelvic Floor Dysfunction in the Female Athlete. Curr Sports Med Rep. 2019 Feb;18(2):49-52. doi: 10.1249/JSR.0000000000000563. PMID: 30730341.

5. Bø K, Nygaard IE. Is Physical Activity Good or Bad for the Female Pelvic Floor? A Narrative Review. Sports Med. 2020 Mar;50(3):471-484. doi: 10.1007/s40279-019-01243-1. PMID: 31820378; PMCID: PMC7018791.

6. Moser H, Leitner M, Baeyens JP, Radlinger L. Pelvic floor muscle activity during impact activities in continent and incontinent women: a systematic review. Int Urogynecol J. 2018 Feb;29(2):179-196. doi: 10.1007/s00192-017-3441-1. Epub 2017 Sep 7. PMID: 28884367.

7. Rebullido TR, Stracciolini A. Pelvic Floor Dysfunction in Female Athletes: Is Relative Energy Deficiency in Sport a Risk Factor? Curr Sports Med Rep. 2019 Jul;18(7):255-257. doi: 10.1249/JSR.0000000000000615. PMID: 31283625.

8. Da Roza T, de Araujo MP, Viana R, Viana S, Jorge RN, Bø K, Mascarenhas T. Pelvic floor muscle training to improve urinary incontinence in young, nulliparous sport students: a pilot study. Int Urogynecol J. 2012 Aug;23(8):1069-73. doi: 10.1007/s00192-012-1759-2. Epub 2012 May 3. PMID: 22552685.

Patrocinadores Gold

Subscreva a nossa newsletter