#129 - Proposta de Protocolo de Fisioterapia em Meio Aquático no contexto de entorse do tornozelo - Revisão da Literatura

31 outubro 2021 Fisioterapia - Temas gerais
Leonor Pardal·Falcão L.·Gomes M.

Introdução:

As entorses do tornozelo apresentam uma incidência considerável na população em geral,podendo ocorrer por um mecanismo de inversão ou eversão do tornozelo, e resultar num estiramento ou rotura dos ligamentos. A Fisioterapia em Meio Aquático (FMA) pode ser uma mais valia para utentes com entorse do tornozelo, no entanto a evidência não fornece informação relativamente à prescrição de exercício numa reabilitação em meio aquático.

 

Objetivo:

Desenvolver, através de uma revisão scoping, uma proposta de protocolo de intervenção estruturado de atuação da FMA em contexto de entorse do tornozelo.


Metodologia:

Foram realizadas pesquisas na Pubmed e PeDro, utilizando-se as seguintes palavras-chave: “hydrotherapy”, “aquatic exercise”, “water exercise”, “physiotherapy”, “rehabilitation”, “exercise”, “ankle proprioception”, “musculoskeletal injuries”,“musculoskeletal conditions”, “ankle injury”, “ligament”, “ankle rehabilitation”, “ankle sprain”, “aquatic training” e “water therapy”, executando-se diversas combinações com recurso aos booleanos AND e OR. Como critérios de inclusão foram ponderados: artigos que são Guidelines, Meta-Análises, Revisões Sistemáticas, RCT’s e Estudos Piloto, publicados nos últimos 10 anos, em língua inglesa ou portuguesa, envolvendo participantes com idades entre os 16 e 65 anos, com lesões ligamentares, intervenções de fisioterapia ou FMA. Foram excluídos: artigos referentes a pós cirúrgico ou intervenções não-conservativas, que incluam patologias neuromusculares e, lesões ligamentares com lesões ósseas ou outras complicações e intervenções em animais.

 

Resultados:

De 125 publicações, foram incluídos 11 artigos para a construção do protocolo, dos quais 7 são RCT’s, 2 Guidelines de prática clínica, 1 Revisão Sistemática e 1 Estudo Piloto. A partir desta evidência foi elaborado um protocolo de reabilitação para a entorse do tornozelo em meio aquático dividido em três fases, o período de 1 até 13 semanas, onde constam exercícios de mobilização articular, fortalecimento, propriocepção e flexibilidade, divididos pelas respetivas fases.


Conclusão:

Ainda que a literatura seja escassa, concluímos que o protocolo de intervenção desenvolvido neste estudo poderia ser algo a incluir na reabilitação de uma entorse, no entanto consideramos que mais estudos sobre o tema são necessários.

 

Palavras-chave:

"Fisioterapia em Meio Aquático"; "Entorse do tornozelo"; "Protocolo"; "Reabilitação"

Faça aqui o download do e-Poster completo
Download

Contacte com os autores

Patrocinadores Gold

Subscreva a nossa newsletter